Analitics

quinta-feira, agosto 12, 2010

Inhotim (ou vergonha de mim mesmo)

Semana passada recebemos (eu e Personal) a visita de um casal de amigos baianos. Pessoas super gente fina, animadas, que se foram deixando saudades. Saudades com data certa pra acabar, no mês que vêm, quando iremos passar um final de semana em Salvador


Mas o verdadeiro motivo deste post é registrar que, por conta da presença deles em BH, fomos no último sábado a Inhotim, uma espécie de museu de arte moderna misturado com parque ecológico, em que as obras de arte interagem com a natureza, estando tanto em galerias espalhadas na grande área verde, quanto ao ar livre também.


Quem me falou do lugar pela primeira vez foi um grande amigo que veio de Portugal para (entre outras coisas) conhecer o local. Espantou-se quando lhe disse que nunca tinha ouvido falar de lá. Isso aconteceu há cerca de três anos, e apenas semana passada, pela presença de visitantes de outro estado fui conhecer.


Além de me deslumbrar com as belezas do local, o sentimento que mais me marcou na visita foi o de vergonha. Vergonha por demorar tanto tempo pra ia lá. Vergonha por ter que esperar uma pessoa "de fora" me dar notícia da existência de lá. Vergonha por ter chegado tarde e só poder passar duas horas e meia lá. Ficaria o dobro do tempo com muita facilidade!


Quase acrescento à lista acima a vergonha de não escrever um post bacana sobre o local. Só que eu me conheço bem, e se eu adiar ainda mais, não sai nem mesmo este textinho meia boca. Então, pra coisa não ficar em branco, deixo apenas meu convite a todos para que (estando em BH de forma permanente ou de passagem) não deixem de conhecer Inhotim. Vale a pena pegar a estrada até lá e, com um pouco de atenção, ninguém se perde. E nem se arrepende.


Pra finalizar (e, de novo, pra nao deixar passar em branco), coloco algumas fotos de uma das salas que mais me impressionou. É a montagem (não sei se essa é a palavra certa, mas soou bem gay, então decidi usar) "Desvio Para o Vermelho", da galeria Cildo Meireles.


Além da óbvia sala com todos os objetos em vermelho (tem até um pássaro vermelho vivo), a obra ainda conta com um anexo, que bem agrada aos fãs de Jogos Mortais. Não vou dizer do que se trata pra não estragar o impacto de quem for lá visitar. É só pra instigar a curiosidade mesmo.

4 comentários:

FOXX disse...

pois é, inhotim é maravilhoso mesmo...

Paulo disse...

Parece ser interessante mesmo! Fica anotado pro dia que eu visitar BH!! :D

Paulo Braccini disse...

não se envergonhe querido ... ou não sei onde colocarei a minha cara ... eu não conheço ainda ... "CHIQUITA?"

bjux

;-)

Bruno disse...

Nooooooooooooooooooossa, que LINDO!!! Preciso conhecer!

Meu caro, eu sinto a mesma coisa morando em Sampa, acredita?

VER-GO-NHA

Related Posts with Thumbnails