Analitics

domingo, agosto 21, 2011

Quando "ser gay" é realmente uma questão de opção


Um dos termos mais combatidos pela militância LGBT é o clássico "opção sexual".

"A pessoa já nasce gay, não escolhe ser gay. Não é um caso de 'opção'" Segundo essa lógica o mais correto é falar de "orientação sexual". Não sou daqueles que perdem os cabelos quando ouço ou leio alguém usar o termo "errado" mas comungo do mesmo pensamento. Quando acho adequado, modestamente, até me disponho a "corrigir" o interlocutor, até porque a maior parte das pessoas sequer tem noção da sutil diferença entre as palavras.

Entretanto, se se uma pessoa não pode escolher em qual sentido se dá a inclinação de seu desejo sexual (hetero, homo, bi, pan, etc.,), a maior parte das pessoas pode sim optar entre vivenciar este desejo ou reprimi-lo. Não é uma questão de se escolher gostar de pessoas do mesmo sexo, mas, partindo do pressuposto de que o desejo sexual é por uma pessoa do mesmo sexo, tem-se uma questão de escolher colocar em prática (de forma aberta ou oculta) este desejo.

Assim, posso dizer, com muita tranquilidade, que não tive escolha entre ser hetero ou homossexual. Isso foi algo nato, sobre o qual jamais teria condições de alterar se quisesse. Mas tenho clara noção de que, há alguns anos, optei por viver as experiências que meu corpo e mente demandavam. Mais ainda. há bem poucos anos fiz também a opção de vivenciar isto de forma cada vez menos clandestina para colegas, amigos e, principalmente, família.

Cada indivíduo tem um "tempo de maturação" na descoberta de sua sexualidade - em especial da homossexualidade. Meu caminho foi longo, às vezes tortuoso, mas contínuo. O tempo todo evitei o enfrentamento, o que me poupou de muito sofrimento, mas também me custou um tempo precioso que poderia desfrutar junto a pessoas queridas, sem medo.

Com a cabeça que tenho hoje, talvez não tivesse demorado tanto a me expor mais. Mesmo assim, não me arrependo das escolhas feitas. Sou hoje resultado delas e, modéstia à parte, acho que mandei bem. Espero poder contribuir para que cada vez mais pessoas se sintam à vontade para poderem optar por viverem suas vidas e desejos com liberdade.

E que ninguém tenha mais medo se optar por ser gay.

6 comentários:

Serginho Tavares disse...

acho que ser gay é como ser hetero

Paulo Braccini - Bratz disse...

concordo com o Serginho ... ser gay é como ser hétero ... simples assim ...

Autor disse...

Tava vindo aqui pra dizer que a pessoa faz 3.3 e para de postar e me deparo com esse post tão legal. Mordi a língua.
E acho que vc disse tudo. Eu, sinceramente, tenho orgulho desses jovens gays de hoje que, cada vez mais cedo, estão se aceitando sem vergonha de esfregar na cara da sociedade quem são.
Mas, como vc, aprendi aos poucos ter a minha liberdade para viver a minha sexualidade.

Saudade de vc, moço!

Bjos

FOXX disse...

muito bem!
gostei mesmo!
concordo plenamente!

Cassia IG disse...

Eu sou mãe de um gay, concordo com tudo o que você falou e sou assumidíssima. Parabéns pelo texto.

Cara Comum disse...

Concordo com seu texto em cada linha!!

Ah, e só pra vc saber: descobri seu blog por indicação do Foxx... Bom saber que temos colegas da resistência belorizontina na ativa e com bom conteúdo... hehe...

Grande abraço!!

Related Posts with Thumbnails