Analitics

segunda-feira, outubro 12, 2015

Ouro de Tolo



Eu é que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar

Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador

4 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Cada dia q passa esta canção fica mais atual ...

Vilser Vaittim disse...

Genial Raul.
Muito legal.
Abração, Marco!

Latinha disse...

Você voltou!!! Que bacana, bom tê-lo de volta!!!
Eu ando meio relapso com meu o mundo virtual, período complicado de trabalho, mudando para São Paulo e vamos que vamos...

Espero que as coisas para ti esteja correndo muito bem!

Abração!

Homem, Homossexual e Pai disse...

a pergunta de sempre é... porque os bons morrem e os ruins ficam?

Related Posts with Thumbnails